segunda-feira, 2 de junho de 2008

RESSUSCITAR OS ERROS

Photobucket

Seguir!

Sentir a vida em todo seu fervor.

Da mais forte alegria a mais profunda dor.

Da mais vil tentaçãoà mais pura emoção!

Errar!

Sem destino, sem leme, sempre errar!

Sem pensar em chegar nem lembrar de voltar.

Ir seguindo somente como sombra no chão.

Que se alonga se encolhe, se espalha no clarão.

Tendo a morte nos olhos ter os olhos na vida

Com a mesma sensação ao chegar na partida.

Vida a fora aturdida, aturdida na vida!

Sem remorso, sem mágoas, sem lembrança empanada

Como nau que se afasta.

Como vaga que se esprai!

Ir assim como vim,

Confundir-me no nada!

Nazaré Varella

Macaé, 25 de setembro de 1970

Nenhum comentário: