terça-feira, 30 de junho de 2009

A SALA

Do canto da porta olho a sala.
Uma cadeira de balanço que já não balança mais.
Um relógio antigo, já não bate mais.
Uma mesa e quatro cadeiras de palha...
No fundo ,um sofá de tres lugares,mais um de dois lugares.
Uma mesinha de centro.
Um rack,uma tv.
Quadros pelas paredes.
Tudo nos seus lugares.
Mais a sala está vazia!
O que vejo não existe mais.
Tudo ficou fotografado na minha mente.
Esta era apenas a sala.
Uma sala tão suave!
Que exalava o perfume da minha mãe.
Na minha alma ficou o vazio de uma sala!
Nazaré Varella

4 comentários:

blogdocatarino.com disse...

Muito bom, temos memórias das coisas boas que vivemos.

Príncipe Encantado disse...

Lindo poema tranfromado em uma homenagem.
Abraços

Judite (Dite) disse...

Olá, amiga!
A vida está cheia de pequenas recordações, só precisamos a arte de as ver. Essa forma de realçares o passado, só mostra a infância feliz que tiveste.
Como diz o velho ditado, RECORDAR É VIVER.
Um beijinho,
Judite

Carolbio disse...

que homenagem mais linda..
tão bom termos recordações que nos trazem sentimentos inesqueciveis..bj